Autoridades norte-americanas estão oferecendo recompensa de US$ 20 mil (ou R$ 103 mil, na cotação atual) para quem der informações que levem à prisão do responsável por matar um golfinho a tiros no estado de Louisiana.

O golfinho-nariz-de-garrafa foi encontrado morto por uma pessoa em 13 de março, na praia de West Mae, em Cameron Parish – cerca de quatro horas a oeste de Nova Orleans. Segundo NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica), ligado ao governo dos EUA, o animal tinha “ferimentos consistentes por ser baleado com arma de fogo”. O departamento investiga a morte.

A necropsia realizada apontou para balas alojadas. O exame do cadáver feito em Nova Orleans concluiu que múltiplas cápsulas estavam alojadas no animal, inclusive no cérebro, medula espinhal e coração do golfinho.

As autoridades agora estão oferecendo a quantia a quem passar informações que levem a uma condenação criminal ou à avaliação de uma pena civil. Um número para contato foi disponibilizado à população. Ninguém foi preso até agora.

Assediar, prejudicar, matar ou alimentar golfinhos selvagens é proibido sob a Lei de Proteção de Mamíferos Marinhos dos Estados Unidos, de acordo com a NOAA.

Os infratores podem ser processados nos âmbitos civis e criminais. Em caso de condenação, a pessoa pode enfrentar até US$ 100 mil (cerca de R$ 500 mil) em multas e até um ano de prisão.

A espécie golfinho-nariz-de-garrafa é a mais conhecida e estudada entre os golfinhos do mundo todo. Eles são encontrados em parques aquáticos e oceanários, conforme informou a organização não-governamental Oceana.

Podem pesar até 635 kg e medir até 3,8 metros de comprimento. No Brasil, os animais se concentram em baías e estuários de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, mas também em regiões oceânicas.

By souza

Publicitário/ Apresentador de Rádio e TV/ Especialista em Marketing Digital/ Assessoria de Imprensa