Ossada encontrada

A família de Débora esteve no Instituto Médico Legal (IML), e confirmou que a ossada se trata do bebê

No dia 3 de novembro deste ano, a ossada de uma criança foi encontrada no mesmo local em que a jovem grávida, Débora, foi morta. Na tarde desta quinta-feira (14), foi confirmado pela família da vítima que os restos mortais se tratam do pequeno Arthur.

A família de Débora esteve no Instituto Médico Legal (IML), e confirmou que a ossada se trata do bebê. A família de Débora teria voltado para o local do crime e acharam alguns ossos próximo ao camburão que foi usado para esconder o corpo da jovem.

“O resultado do exame saiu hoje, mas os trâmites de liberação só serão realizados amanhã”, afirmou Rita de Cássia, tia da vítima.

Na manhã desta sexta-feira (3), a ossada de uma criança foi encontrada no mesmo local em que a jovem grávida Débora, de 18 anos, também foi encontrada. A vítima foi assassinada pelo ex-companheiro, Gil Romero.

De acordo com a tia de Débora, a família visitou seu túmulo e foi até o local em que o corpo da jovem foi encontrado, na usina Mauá, no bairro Mauazinho, zona Leste de Manaus. O pai de Débora teria encontrado ossos pequenos próximo ao camburão utilizado para esconder o corpo da jovem.

A família de Débora diz não acreditar na versão contada por Gil Romero sobre o paradeiro do bebê, que segundo ele, jogou a criança no rio. A família recolheu os ossos, incluindo um crânio pequeno e enviaram o material para advogada, que confirmou com um médico que a ossada de trata de um ser humano e bebê.

 

By souza

Publicitário/ Apresentador de Rádio e TV/ Especialista em Marketing Digital/ Assessoria de Imprensa