CUT derruba liminar que proibia ato para comemorar Dia do Trabalho na Paulista

CUT derruba liminar que proibia ato para comemorar Dia do Trabalho na Paulista

//
Postado Por
/
Comentário0
/
Categorias

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) conseguiu hoje (30) derrubar parcialmente a liminar expedida ontem (29) pelo juiz Emanuel Brandão Filho, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que proibia a entidade de promover ato em comemoração ao Dia do Trabalho, amanhã (1º), na Avenida Paulista,.

Após audiência com as partes –  CUT e a prefeitura de São Paulo – o juiz Alexandre David Malfatti, decidiu que a central pode promover o ato político na Avenida Paulista, sem a realização de shows. Segundo o advogado da CUT, Vinicius Cascone, “a decisão teve com base a isonomia”, já que outras entidades organizaram atos políticos no local.

Ontem (29), o juiz Emanuel Brandão Filho havia expedido liminar proibindo a CUT de promover o ato em comemoração ao Dia do Trabalho na Avenida Paulista, e determinou multa de R$ 10 milhões caso a medida fosse desobedecia.

Em nota, a CUT informou que o ato ocorrerá a partir das 14h na Avenida Paulista e, na sequência, os manifestantes seguirão em caminhada até a Praça da República, onde ocorrerá apresentações de artistas.

O Ato Político de Resistência do 1º de Maio, Dia dos Trabalhadores e das Trabalhadoras, está mantido na Av. Paulista, com concentração a partir das 12h. O evento, organizado pela CUT, CTB e Intersindical, com o apoio dos movimentos que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, será de luta e resistência contra o maior ataque aos direitos trabalhistas, previdenciários e sociais já ocorridos na história do Brasil.

O ato político ocorrerá a partir das 14h e, na sequência, os manifestantes seguirão em caminhada até a Praça da República, onde terão as apresentações dos artistas programados para encerrar a atividade.

A decisão foi acordada em audiência com o Tribunal de Justiça de São Paulo na manhã deste domingo (30), após a Central entrar com recurso contra a decisão proferida a pedido da Prefeitura de São Paulo de proibir as atividades do 1º de Maio na Av. Paulista. O TJSP justificou a decisão com a alegação de que é preciso “se dar a isonomia à manifestação da CUT e a outras já ocorridas na Av. Paulista, inclusive com a utilização de caminhão de sim.”

Segundo o presidente estadual da CUT-SP, Douglas Izzo, a programação cultural deste 1º de maio tem o objetivo de utilizar a cultura como instrumento de formação política, em especial com a juventude. “Por isso trabalhamos para manter as intervenções culturais que encerrarão as atividades, assim como estava previsto. O ato político está mantido na Paulista, palco das grandes últimas manifestações protagonizadas pela população de São Paulo”, explica.

1º de Maio da Resistência
Av. Paulista, com concentração a partir das 12h
Ato político às 14h, com caminhada até a Praça da República
Apresentações culturais: Praça da República⁠⁠⁠⁠

Fonte: Agencia e Cut

oioioi

Responder